quarta-feira, 9 de janeiro de 2008

Os Profetas da modernidade


por Thiago Antunes

Os profetas são aqueles que vêem o que os outros não vêem. Chamaríamos isso de discernimento. Segundo a septuaginta os termos: vavi, ro-ch e hozeh por prophetes que tem o sentido de falar por alguém. O profeta é um homem de Deus por Ele comissionado. É um homem que vê alem dos demais, que tem descortino, que entende, que vem como um arauto de Deus. Tem uma relação de guarda com o povo de Deus, adverte e ensina.

No Antigo Testamento as profecias dos profetas tinham a função de reafirmar os grandes conceitos da aliança, ou seja o profeta olhava para o futuro.

Já os profetas neo-testamentários eram a voz de Deus naquele momento. Temos a Bíblia como a voz de Deus hoje. O profeta deve saber interpretá-la e deve saber comunica-la. Nunca ultrapassa-la ou complementa-la. No Novo Testamento o profeta era mais um edificador da igreja do que um descobridor do futuro.

O profeta, verdadeiramente profeta, é um instrutor do povo de Deus dentro da palavra de Deus, ele não se conforma com o pecado estrutural, sabe interpretar os acontecimentos históricos, denúncia, acusa e condena. Vemos isso na pregação dura de Amós contra a exploração econômica por parte de uma elite insensível aos sofrimentos do povo, contra a corrupção e os demandos sociais dessa mesma elite. Além disso é também um consolador conforme Isaías 40:1 - "consolai, consolai o meu povo."

Os profetas nos ensinavam uma vida comunitária e não individualista como muitos vivem hoje, preocupados só consigo mesmo. Para não cairmos no modismo hoje, devemos nos preocupar mais uns com os outros. Ter uma vida social é expressar atitudes corretas, de uma vida limpa em caráter santo.

Os nossos tempos não são tão diferentes como muitos dizem, da época do Antigo Testamento. Portanto ter uma compreensão mais plena da sociabilidade do Antigo e Novo Testamento corrobora para uma consciência de responsabilidade maior de uns para com os outros.

Devemos ter uma vida de retidão, integridade, caráter santo e mostrar que servir Cristo é bem mais que participar de uma confraternização religiosa e reuniões de celebração da fé. Mas sim estar cônscio e conscientizar os membros de nossas igrejas que sejam cristãos em tempo integral, ou seja, em todos os momentos e lugares.

Os profetas do Antigo Testamento centravam-se muito nas questões da vida, na conduta correta diante de Deus e dos homens cf. Miquéias 6:8 - "praticar a justiça, amar a misericórdia e andar humildemente com Deus."

Pois na realidade o profeta é uma pessoa que internaliza o que diz. Antes de dizer alguma coisa aos outros, tem que dizer a si mesmo. Um exemplo: Hofni e Enéias poderiam ser profetas, mas a falta de ética pessoal os incapacitaram para missão.

O profeta tinha que ser integro, assim como foi Samuel, um homem que tinha uma integridade e foi escolhido por Deus, enquanto que os filhos do sacerdote Eli não puderam ser porque eram corruptos.

Ser profeta é viver o que prega! É internalizar a Palavra de Deus em nossas vidas!!

Às vezes ser profeta não é agradável. Pois os profetas eram chamados a obediência assim como o próprio Filho Jesus aprendeu a obedecer (Hb 5:8). O verdadeiro profeta é um homem que cumpre o que prega, que obedece para pedir obediência, que põe a sua vida debaixo das ordens de Deus para ter autoridade de pregar isto ao povo.

O profeta contemporâneo precisa ter escrúpulos, principalmente na área financeira, pois, o que vem escandalizando as igrejas evangélicas de hoje é o dinheiro. Quantos "pastores", "evangelistas", "lideres" que são verdadeiros "picaretas", vem trabalhando em nossas igrejas atrás de dinheiro. Pois ser profeta é temer a Deus, ser integro, e isto é o que tem faltado em nossos dias.

Um forte abraço que Deus nos abençoe!!!